Curta nossa página no Facebook!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Escatologia - Algumas Verdades à Luz da Bíblia

Recentemente, buscando na internet opiniões acerca do Juízo Final, encontrei um artigo intitulado: Os filhos de Deus vão passar pelo Juízo Final? Achei interessante e comecei a ler. O artigo é bem fundamentado e coerente. Concordei com os motivos apresentados, visto serem todos de embasamento bíblico. Também acredito que os crentes salvos não passarão pelo Juízo Final, porquanto, já estarão salvos da ira de Deus.

Entretanto, olhando os comentários (44 no total), encontrei algumas afirmações sobre diversos assuntos escatológicos, os quais demonstram grande falta de conhecimento acerca desses assuntos. Não quero, com isso, dizer que conheço esses assuntos - bem como outros - de forma completa, e que justamente por conta disso, atrevi-me a escrever este artigo. Pelo contrário: ainda estou engatinhando no estudo aprofundado da Bíblia Sagrada. Mas, a Bíblia nos admoesta a "ensinarmos-nos" e "aconselharmos-nos" uns aos outros, para que assim, haja crescimento espiritual forte e constante.

Portanto, procurarei de forma sintética demonstrar a visão bíblica acerca dos assuntos comentados.

AFIRMAÇÃO: Todos compareceremos ao Tribunal de Cristo, ao mesmo tempo. Só que a igreja já está justificada e julgará os ímpios juntamente com Cristo. Aliás, a igreja já antes estará reinando com Cristo no Milênio, os ímpios ressuscitarão no final do mesmo para serem julgados por Cristo e por nós (igreja). O tribunal será uma única vez.


Quanto à pergunta feita, lembrei-me de um trecho bíblico que diz que será difícil para o JUSTO comparecer diante de Jesus, no dia do Juízo, que dirá para o ímpio...

REFUTAÇÃO: O Tribunal de Cristo será somente para a Igreja, e apenas para galardoar pelos trabalhos efetuados em prol da obra de Deus (2 Coríntios 5.10). Aqui a salvação está garantida; o julgamento é acerca das obras. O Tribunal pelos quais os ímpios passarão é o Juízo Final, no qual não haverá salvação, pois essa é a Segunda Ressurreição, que levará à Segunda Morte (Apocalipse 20
.11-15).

AFIRMAÇÃO: Quanto a nós julgarmos aos ímpios, me desculpe mas, com todo respeito, não está escrito... Seremos todos (crentes e incrédulos) julgados por JESUS e não julgaremos nada... Não me lembro de nada assim.

REFUTAÇÃO: Como falado anteriormente, os salvos não participarão do Juízo Final, nem como réus nem como jurados, pois Deus será o único e justo Juíz e não haverá apelação, pois os réus (ímpios) escolheram não aceitarem o Advogado, Jesus Cristo (1 João 2.1). Mas, no final da Grande Tribulação julgaremos com Cristo os rebeldes e no Milênio julgaremos ("reinaremos") as nações (2 Coríntios 6.2; Apocalipse 20.4).

AFIRMAÇÃO: Se Jesus só virá buscar a igreja no final da Grande Tribulação, então eu não preciso ficar vigiando nem esperando a sua volta, porque eu sei que Ele só vira no final da Grande Tribulação, ou seja, o sinal da sua volta é a Grande Tribulação. Por mais ingenuo que eu seja em relação a minha salvação, eu só vou me preparar (santificar) quando começar a Grande Tribulação, e no final dela estarei pronto para ser salvo.

REFUTAÇÃO: A ordenança da santificação indica uma ação constante - seguír (Hebreus 12.14), pois precisamos estar preparados para o dia da Vinda de Jesus Cristo, que será algo repentino (1 Coríntios 15.52). Vale lembrar que essa última trombeta que Paulo fala não se refere à nenhuma trombeta da Grande Tribulação, quando comparamos os textos de 1 Tessalonicenses 4.13-18, 2 Tessalonicenses 2.1-17 e Apocalípse 11.15-19. Devemos estar preparados, pois o Arrebatamento da Igreja será repentino, ao passo que a vinda de Cristo para o estabelecimento do Milênio é que será visível.

AFIRMAÇÃO: Como lidar com a questão de que a teoria Pré-tribulacionista (arrebatamento antes da Grande Tribulação) tem uns 100 anos e que antes a interpretação do assunto era Pós-tribulacionista (arrebatamento após o final da Grande Tribulação) e outras. As igrejas anteriores a estes tempos não sabiam interpretar o assunto? E os grandes intérpretes de hoje que continuam apoiando as igrejas do passado na mesma linha de pensamento, também estão errados? Eu me questiono: levaram mais de mil anos para chegar à verdadeira interpretação com a mesma Escritura? E os grandes intérpretes Pós-tribulacionistas de hoje estão equivocados?

REFUTAÇÃO: A plena aceitação por parte de cientistas e pensadores sobre determinados assuntos, não é prova final acerca desse assunto. A exemplo, temos a Teoria da Evolução, o "quadrado da Terra", a centralidade do Universo na Terra e não no Sol, etc. Não é porque o assunto é religioso que está isento de pensamentos tortuosos. Entretanto, com alguma análise acerca da Interpretação Literal e Alegórica (espiritualizada) da Bíblia, podemos perceber as discrepância dentro da doutrina Pós-tribulacionistas.

AFIRMAÇÃO: Eu pergunto: como entendes a passsagem de 2 Tessalonicenses 2, que diz que a nossa ascenção e a vinda de Cristo não virão antes da apostasia e a manifestação do iníquo. A manifestação aqui é aparecimento mesmo; é real. 2 Tessalonicense 2.3 diz que ninguém vos engane, porque isto (o que está no versículo 1) não será assim, sem que antes venha a apostasia e a manifestação do iníquo (Anticristo). Você disse que Cristo virá buscar a Igreja antes da manifestação do Anticristo. Mas, isto é contrário ao versículo 1, pois não será assim antes que venha a apostasia e a manifestação da iníquo.

REFUTAÇÃO: Um pequeno entendimento de 2 Tessalonicenses 2.1 e 2, derrubam por terra todo a doutrina Pós-tribulacionista. Senão, vejamos! Em 1 Tessalonicenses, Paulo enfatizou sobre o arrebatamento da Igreja. Entre a primeira carta e a segunda, alguns mestres introduziram heresias que defendiam que a Grande Tribulação e o Dia do Senhor, já haviam acontecidos, em parte decorrente dos recentes acontecimentos ocorridos com o povo de Israel, principalmente, a tomada de Jerusalém e o panorama aterrorizante da guerra, causando grandes dores e prejuízos. Essa heresia são colocadas em evidência em 2 Tessalonicenses 2.1,2.

É interessante que no versículo 1, ao falar sobre a vinda, ele não toma o assunto como objeto da escrita, mas como motivação para a permanência no entendimento anterior sobre o Dia de Cristo. Paulo roga os irmãos, pela vinda do Senhor (assim como se jurava por Deus no AT), a permanecerem no ensino de Paulo, pois assim, como a vinda do Senhor é certa, e ainda não havia acontecido, o Dia de Cristo, também é certa, mas ocorrerá logo depois desses eventos.

O final do versículo 2 diz: como se o Dia de Cristo estivesse já perto. Observe que o versículo 3 continua, referindo-se ao versículo 2 e não ao versículo 1: Ninguém de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição. Segundo Malaquias 4.1,2,5, o Dia grande e terrível do Senhor é o Juízo de Cristo sobre as nações (Apocalipse 19.11-21) para assim restaurar o Milênio (Apocalipse 20.4-6).


Assim, em 2 Tessalonicenses Paulo diz que é o Dia do Juízo (o Dia de Cristo cf. Apocalipse 19.13,16) - e não o Arrebatamento da Igreja - que viria depois da manifestação do Anticristo, pois ainda um há que o resiste, e que o mesmo será afastado após o arrebatamento da Igreja, que se dará em algum momento antes da manifestação do Anticristo, pois o ministério e a operação do erro será para os que não receberam o amor da verdade para se salvarem (2 Tessalonicenses 2.10).


Para uma melhor explicação, confira o artigo Profecias Sobre o Final do Mundo - Uma Visão Cronológica do Apocalipse.


AFIRMAÇÃO: Se há um obstáculo que breve será retirado, então ele (o Anticristo) não se manifestou ainda, e Paulo coloca esta manifestação antes da nossa reunião com ele e de sua vinda. Isto (o Arrebatamento) não acontecerá sem que antes seja revelado o Anticristo. Talvez, queiram colocar a Igreja como este obstáculo, mas o texto citado diz que a Igreja só sobre depois da manifestação, então ela não pode ser o obstáculo que é retirado antes.


REFUTAÇÃO: Primeiro, precisamos entender que o Espírito Santo tem quatro funções primordiais na Igreja hoje: Consolar (João 14.16,17), Ensinar a verdade (14.26; 15.26; 16.13,14), Dar a vida (Romanos 8.2,6,9) e Selar-nos para o dia da Redenção (Efésios 4.30). A pergunta é: Se é verdade que o Espírito Santo é o que restringe (detém) o Iníquo e esse mesmo Espírito é o que opera essas funções na Igreja, caso ela saia do mundo, com qual poder e força a Igreja prevalecerá contra as hostes infernais da maldade (Efésios 6.11-17)? Fica óbvio que o Espírito não pode sair do mundo sem levar a Igreja a Cristo, caso contrário a Igreja seria vencida pelo Diabo, contrariando o que Jesus falou (Mateus 16.18).


Está aí algumas afirmações - quer sejam a do próprio autor dos comentários ou de terceiros - refutadas de acordo com o que a Bíblia ensina.


Caso, tenha mais alguma dúvida, e queira algum esclarecimento, fique à vontade para fazer um comentário com suas dúvidas.


Fiquem na Paz de Deus!





Curta nossa página no Facebook! CURTIR

Comentários



@2012. Todos os direitos reservados a Netanias dos Santos Souza.