Curta nossa página no Facebook!

terça-feira, 29 de maio de 2012

A Escola Dominical Como Fator Indispensável no Crescimento da Igreja

Versículo-Chave: EFÉSIOS 4.11-16
“Ser aluno da Escola Dominical significa aprender sempre.” (Reginaldo de Souza – Dir.-Executivo da CPAD).
1 – O QUE É A ESCOLA DOMINICAL

É a escola popular de ensino bíblico da Igreja, para ensino e evangelização (Mc 16.15; Mt 28.20). Não é culto de pre-gação, oração ou louvor.

A Escola Dominical tem três objetivos principais que são (baseados em Ef 4.11-13):
1. Ganhar almas (v.11 conforme Mc 16.15).
2. Treinar o cristão para a obra do Mestre (v. 12 conforme 2 Tm 2.15).
3. Ensinar o cristão para alcançar a maturidade espiritual (v. 13 conforme Hb 5.11-14).

2 – HISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA DOMINICAL

1. Nos dias de Moisés (Dt 11.18-20).
2. Nos dias dos sacerdotes, reis e profetas (1 Sm 12.20,23; Ne 8.2; Jr 18.18; Ml 2. 7).
3. Durante o Cativeiro Babilônico. As famosas Sinagogas tiveram seu surgimento durante o Cativeiro Babilônico. Os ju-deus sem o Grande Templo, usavam as sinagogas para cultos, ensino bíblico e escola pública.
4. Depois do Cativeiro (Neemias capítulo 8). O Pastor Antonio Gilberto relata: “É dessa época que temos o primeiro movimento de ensino bíblico metódico e popular, similar ao da nossa Escola Dominical de hoje”.

SUPERINTENDENTE (v. 2)     **     ALUNOS (v. 3a)     **     MATERIAL DIDÁTICO (v. 3b)
AUXILIARES (v. 4)     **     PROFESSORES (vv. 7,8)     **     HORÁRIO (v. 3)

5. Nos dias de Jesus. Jesus foi o Grande Mestre (Mt 4.23; 5.1; Mc 1.21). O Ministério de Jesus era tríplice: PREGAVA (Mc 1.14),  ENSINAVA (Lc 4.15) e OPERAVA MILAGRES (Lc 4.31,33-35).
6. Nos dias da Igreja Primitiva. A Igreja, em seus passos iniciais, dava muita ênfase ao ensino da Palavra (At 2.42; 4.2).

7. Nos dias atuais. A Escola Dominical da atualidade teve início em 1780, com um jornalista episcopal Robert Raikes, de 44 anos, em Gloucester, Inglaterra. O objetivo inicial da EBD era trazer crianças de rua para orientações espirituais, em reuniões dominicais, onde era ensinado noções de Linguagem, Aritmética e Educação Moral e Cívica. O ensino bíblico consistia apenas da leitura de textos da Bíblia. Somente depois adotou-se a explicação dos versículos. A Escola Dominical teve também como incentivados o lodrino William Fox.

8. A Escola Dominical no Brasil. A Escola Dominical teve início no Brasil em 19 de agosto de 1855, em Petrópolis, Rio de Janeiro, com o casal de missionários Robert e Sara Poulton Kalley, da Igreja Congregacional. A primeira Escola teve uma freqüência de 5 crianças.

3 – ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL

3.1 – ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL
A Escola Dominical deve ser encarada como uma escola normal; só de que caráter religioso. Para tantO, tem-se a ne-cessidade de uma organização, administração e funcionamento específicos que deve ser:

PESSOAL ** MATERIAL ** FUNCIONAL

A ORGANIZAÇÃO PESSOAL é composta de:
- Corpo Administrativo: Diretores, Superintendentes, Secretários, Tesoureiros, etc.
- Corpo Docente: Professores Titulares, Professores Suplentes, etc.
- Corpo Discente: Alunos matriculados, visitantes; podem ser crentes ou não.

A ORGANIZAÇÃO MATERIAL é a estrutura necessária utilizada para o ensino: prédios, mobília e material didático.

A ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL é o setor responsável pelo ensino, sua qualidade e administração do mesmo (elabora-ção dos currículos, planejamentos de aulas e orientações pedagógicas). Esse setor é composto tanto pelos administrado-res da Escola Dominical, quanto professores e Conselho de Doutrina, Apologética e Educação Cristã para cuidar da:

ESPIRITUALIDADE     **     ENSINO     **     EFICIÊNCIA     **     PLANEJAMENTO e REVISÃO

3.2 – ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL
A administração da Escola Dominical de uma cidade é responsabilidade de uma Diretoria específica; no entanto, a administração de um setor está a cargo de Superintendente.

***** SUPERINTENDENTE
Mas o que é um Superintendente? É um dirigente específico da Escola Dominical.
O Superintendente encarrega-se dos Trabalhos Administrativos relacionados abaixo:
1. Promover a leitura de Obras de Referências, entre os professores;
2. Fazer marketing da Escola Dominical;
3. Providenciar Material didático-pedagógico de apoio;
4. Manter o corpo administrativo e docente completo, para o bom funcionamento da Escola Dominical;
5. Indicar professores seguindo critérios específicos;
6. Dirigir reuniões de treinamento, seminários, estudos bíblicos, etc.
7. Deverá ter em mente os seguintes aspectos da Escola Dominical, constantemente:

- SEU RUMO – Que rumo a Escola Bíblica está tomando? Quais os nossos objetivos?
- SUA PROMOÇÃO – Como fazer para que a Escola Bíblica alcance seus objetivos?
- SUA AVALIAÇÃO – Como está o desenvolvimento do ensino, dos professores, e dos alunos?
- SUA MOTIVAÇÃO E INCENTIVO – O que fazer para aumentar a freqüência?

As Características do Superintendente são:
1. Cultura bíblica (1 Tm 4.13-16).
2. Conhecer o trabalho geral da Escola Dominical (2 Tm 4.5).
3. Orientador e paciente (2 Tm 4.2).
4. Idôneo. Que zele pela boa doutrina (2 Tm 2.2).

***** SECRETÁRIOS
As Responsabilidades de um secretário da Escola Dominical são as seguintes:
1. Fichas de Matrícula de Alunos e Professores.
2. Chamadas da Classe Oficial.
3. Relatórios de Freqüência Semanais, Mensais, Trimestrais e Anuais.
4. Controle de Biblioteca (Compra de livros, empréstimos e devoluções).

***** TESOUREIROS
Ficam Responsáveis por:
1. Entradas e Saídas Financeiras.
2. Contas a Pagar e Receber.

4 – PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL

4.1 – O QUE É EDUCAÇÃO?
(1) Ato ou efeito de educar; (2) Processo de desenvolvimento da capacidade FÍSICA, INTELECTUAL e MORAL do ser humano.

4.2 – O QUE É EDUCAÇÃO CRISTÃ?
É o processo de desenvolvimento INTELECTUAL, ESPIRITUAL e MORAL do ser humano, dentro dos métodos bíblicos (Js 1.8; 2 Tm 3.16,17).

4.3 – QUAL O PAPEL DO PROFESSOR NA ESCOLA DOMINICAL?
Dentro do Processo Educacional, o professor pode ser:

TRANSFERIDOR – Aquele que transfere o conhecimento puro.
TRANSMISSOR – Aquele que transfere o conhecimento já analisado e com conclusões.
FACILITADOR – Aquele que dá as ferramentas de trabalho e orientação na busca do conhecimento.

O PROFESSOR, ANTES DE TUDO, É UM FORMADOR DE OPINIÃO!
QUE TIPO DE OPINIÃO ESTAMOS FORMANDO EM NOSSOS OUVINTES?

4.4 – CARACTERÍSTICAS DO PROFESSOR DA ESCOLA DOMINICAL.
As características se agrupam em duas categorias: ESPIRITUAL e INTELECTUAL

1ª CATEGORIA: ESPIRITUAL

1. Ter convicção da chamada para o ensino (Rm 12.6,7; Ef 4.11,12).
2. Ter uma vida condizente com a Bíblia (Rm 2.21-23).
3. Seguir o exemplo de Jesus. Poderemos citar três características básicas do Grande Mestre:
- Conhecia a Bíblia – a Lei. (Lc 2.41,42,46,47,52).
- Tinha autoridade. (Mc 11.27,28).
- Utilizava métodos de ensino diferentes. Citamos: Exposição (Mt 5.1,2) e Perguntas e Respostas (João capítulo 3).
- Dava resultados positivos (Jô 4.39-41).
4. Disposição e humildade para aprender. O professor deve estar atento a qualquer oportunidade de aprender. Nin-guém sabe tudo. Devemos ter humildade para reconhecermos nossas limitações.
5. Liderança Positiva. Direta ou indiretamente, todo professor exerce influência positiva ou negativa. tudo isso depende de sua liderança no grupo.
6. Reconhecer o tamanho de sua missão e encarar com seriedade. Precisamos “vestir a camisa” do ensino. Os apósto-los são um exemplo (At 5.42). Paulo exortou Timóteo a fazer o mesmo (1 Tm 4.15).

2ª CATEGORIA: INTELECTUAL

1. Conhecimentos bíblicos essenciais. Numa pesquisa realizada com 100 alunos sobre o motivo de irem a Escola Domi-nical, foi obtido o seguinte resultado: 98% vão a Escola Dominical para aprender mais sobre a Bíblia; desses, 93%, vão a Escola, porque o professor conhece a Bíblia.
Um professor nunca deve contentar-se com o conhecimento dos outros: com o que ouve falar. Devemos, nós mesmos, buscar esse conhecimento (2 Tm 3.16,17).
2. Ter conhecimento didático-pedagógico. É necessário para que o professor entenda o processo ENSINO-APRENDIZAGEM.
Ensinar não é somente transferir, transmitir ou facilitar o aprendizado. É conscientizar o aluno para a prática do que foi aprendido.
3. Ter conhecimentos de Psicologia, Sociologia e Filosofia Educacional.
O que é Psicologia Educacional? É o estudo do comportamento humano no processo ENSINO-APRENDIZAGEM.
O que é Sociologia Educacional? É o estudo da socialização do homem, através da Educação.
O que é Filosofia da Educação? É o questionamento da aprendizagem em si: conceitos, métodos, resultados, etc.

5 – OBSTÁCULOS NO DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA DOMINICAL

Abaixo citaremos alguns obstáculos para o pleno desenvolvimento da Escola Dominical.
1. Espaço. “A Escola Dominical crescerá enquanto houve espaço para as classes.” (Antônio Gilberto).

2. “Operação Tapa-Buraco”. O professor e orientador pedagógico Marcos Tuler, afirma que o maior problema do ensi-no é a “Operação Tapa-Buraco”, onde um professor despreparado é utilizado para substitui o responsável pelo ensino, encima da hora.

3. “Síndrome de Moisés”. O medo de delegar poderes a outras pessoas. David Hocking enfrentou esse problema. Es-creve ele: “A certa altura do meu Ministério estava seguindo a “Síndrome de Moisés”, não delegando tarefas a outros. E, com [certeza], eu estava exausto por causa das muitas tarefas. Um amigo e cooperador, chegou-se a mim certa vez e disse: “David, o que poderemos fazer quando você morrer?”.

4. Alienação à Tecnologia Educacional. O pastor Eliézer Moura, coordenador do Conselho de Educação Religiosa do Rio Grande do Sul, fala o seguinte: “A grande necessidade hoje é a igreja montar uma sala onde concentrar biblioteca, videoteca, mapoteca, informática e internet, retroprojetor, datashow, etc. Temos que ter a visão de utilizar o que pode servir como ferramentas para o Reino do Senhor, agilizando o processo de aprendizagem.”

6 – COMO SUPERAR OS OBSTÁCULOS NO AVANÇO DA ESCOLA DOMINICAL

Abaixo citaremos alguns itens que com certeza nos ajudarão a superar esses obstáculos. Vejamos alguns.

1. Planejamento do Ensino. Toda ação exige um plano prévio. A Educação Cristã também. Em um planejamento são respondidas as seguintes perguntas: O QUE FAZER? COMO FAZER? QUAIS OS RESULTADOS ESPERA-DOS? QUAIS OS RECURSOS UTILIZADOS? COMO MELHORAR?
2. Elaboração de um Currículo Local. O pastor Antônio Gilberto aconselha a criação de um currículo adaptado às ne-cessidades da Igreja Local.
3. Implantação de um Corpo Docente permanente e fixo. Serão os responsáveis pela transmissão do ensino da Escola Dominical. Os Critérios de Seleção são os seguintes:

- TESTE VOCACIONAL (1 Co 7.20; Ef 4.11).
- TESTE DE CONHECIMENTOS GERAIS E BÍBLICOS (At 17.28; 22.2,3).
- TESTE DE PRÁTICA EDUCACIONAL (Rm 12.7).

4. Treinamento e reciclagem dos professores. Práticas educacionais, adaptação à Tecnologia Educacional, utilização de materiais didáticos na exposição das aulas, etc., são alguns dos assuntos a serem tratados nos treinamentos e recicla-gens. Pode-se utilizar recursos próprios locais, sem a necessidade de se trazer professores de fora para esses fins.

5. Utilização de recursos tecnológicos. Para que haja uma educação eficaz, faz-se necessário duas características no aluno:

MOTIVAÇÃO – DE ORDEM INTERNA. PODE SER INTRÍNSECA OU EXTRÍNSECA.
INCENTIVO – DE ORDEM EXTERNA. PODE SER INTRÍNSECA OU EXTRÍNSECA.

A motivação do aluno, na maioria das vezes é extrínseca, sendo conseqüência do incentivo intrínseco ou extrínseco.

6. Investimento financeiro. Para que a Escola Dominical funcione, amplie e seja proveitosa, é necessário também inves-timentos financeiros.
7. Plano de Marketing. A divulgação da Escola Dominical – seu funcionamento e resultados - comprovando a sua efi-cácia no ensino, com certeza será um dos meios interessantes de chamamento do povo para o aprendizado e prática da Palavra de Deus.

7 – PROPOSTAS PARA UMA ESCOLA MAIS DINÂMICA

1. Horários da Escola Dominical.

08:00HS     ÀS     08:10HS – INÍCIO COM ORAÇÃO
08:10HS     ÀS     08:30HS – HINOS, LEITURA BÍBLICA E CHAMADA CLASSE OFICIAL
08:30HS     ÀS     09:50HS – ESTUDOS DA LIÇÃO BÍBLICA
09:50HS     ÀS     10:00HS – ENCERRAMENTO

- A Chamada da Classe Oficial deverá ser efetuada em “processo rápido” juntamente com a entrega do Diário de Classe para os professores das classes de Jovens e Adultos em primeiro plano.

2. Reuniões semanais, aos sábados, para o estudo em conjuntos dos assuntos pelos professores.

3. Distribuição dos assuntos trimestralmente. Para isso faz-se necessário a implantação de um Corpo Docente perma-nente e fixo. Cria-se uma Agenda Trimestral onde todos os professores – e a Igreja – saberão as datas de suas respectivas aulas, tendo mais tempo para o estudo e preparação de aulas potenciais e dinâmicas.

4. Reuniões de avaliação do ENSINO, PROFESSORES e ADMINISTRADORES.
5. Remanejamento de professores.





Curta nossa página no Facebook! CURTIR

Comentários



@2012. Todos os direitos reservados a Netanias dos Santos Souza.